Bem-vindo ao Blog do RealTimes

Jornalismo cidadão… E os muros vieram abaixo

photo003 O mundo do jornalista profissional, formado e treinado formalmente para informar o “quem, o quê, por que, quando e onde” de uma notícia, foi virado de cabeça para baixo e de dentro para fora. A lendária fala “É assim que as coisas são”, do renomado jornalista Walter Cronkite da rede CBS, perdeu ressonância. Ela foi substituída por uma inumerável avalanche de tweets, sites de compartilhamento social, blogs e vídeos informativos que despencam sobre nós incansavelmente 24 horas por dia, 7 dias da semana. Os avanços na tecnologia digital e o crescimento da internet criaram uma nova era de “Jornalismo Cidadão”, que está firmemente sedimentado na sociedade interconectada dos dias de hoje.

TORNE-SE UM JORNALISTA CIDADÃO E MUDE O MUNDO


Conhecido por muitos nomes ao longo dos anos, como jornalismo de guerrilha, público, feito por cidadãos comuns, de rua ou participativo, o conceito de jornalismo cidadão baseia-se simplesmente no fato de que pessoas sem formação acadêmica ou experiência profissional na área podem e devem se envolver diretamente com o jornalismo.
A internet é comprovadamente a grande equalizadora de disseminação de informações. Ela permite que as pessoas criem e distribuam informações instantaneamente para qualquer lugar do mundo, e sem censuras do que pode e do que não pode ser divulgado. Usando tecnologias digitais e a internet, os jornalistas cidadãos podem criar, contradizer ou complementar notícias para distribuição simultânea tanto para o público local quanto globalmente. Qualquer pessoa munida de um telefone celular com câmera de vídeo e câmera fotográfica pode virar jornalista cidadão em poucos instantes.
O jornalismo cidadão tem um benefício duplo. Em primeiro lugar, como cidadão, você tem acesso a inúmeras opiniões diferentes, e até mesmo a informações em tempo real em uma escala global. Em segundo lugar, como jornalista, você pode se tornar um membro colaborador dessa comunidade, usando a tecnologia como canal para sua expressão pessoal.

OS VÍDEOS INFORMATIVOS TORNARAM-SE PARTE INTEGRANTE DO JORNALISMO CIDADÃO


Não há dúvida de que a internet tem sido a força propulsora do verdadeiro jornalismo cidadão atualmente. Francamente, pode ser difícil visitar sites na Internet sem tropeçar em suas opiniões. A assinatura característica do jornalismo cidadão tem sido esquivar-se dos canais estabelecidos e das restrições de organizações jornalísticas profissionais. No entanto, como veremos mais adiante, isso também está mudando.
O potencial do jornalismo cidadão se consolidou com a rápida expansão da World Wide Web na década de 1990. Com ela, as pessoas podiam criar homepages simples e pequenos sites e expressar suas opiniões tanto para um público específico quanto para o mundo todo. Hoje em dia, muitas dessas homepages viraram blogs. As pessoas que filmam eventos de interesse jornalístico com uma câmera digital ou filmadora de um telefone celular e depois enviam esse conteúdo para um blog para compartilhar com o restante do mundo tornaram-se um dos dispositivos mais eficazes da caixa de ferramentas de um jornalista cidadão.
Considerado um portal de blogs aprimorados e fonte de notícias alternativa mais formal e melhor financiada, o The Huffington Post vem desafiando os meios de comunicação estabelecidos, autointitulando-se “O Jornal da Internet”. Ele também tem um componente de jornalismo cidadão, pois permite o envio de fotos e vídeos informativos. Essa estratégia tem ajudado o “Huff Post” a florescer na Internet. Avançando esse compromisso, eles firmaram uma parceria com a UStream e criaram um site de uploads de vídeos que ajuda a expandir os recursos do The Huffington Post para jornalistas cidadãos enviarem notícias ao vivo e instantâneas a partir de dispositivos de vídeo móveis.
Para os aspirantes a jornalistas cidadãos mais causais e sem tanto conhecimento técnico, redes sociais como o YouTube, Facebook e Twitter oferecem maneiras fáceis de postar vídeos online. Esses serviços gratuitos oferecem plataformas amigáveis, com uma ampla oferta de ferramentas e tecnologia para vários tipos de comunicações públicas e privadas que utilizam texto, fotos e conteúdo de vídeos informativos.

A MÍDIA ESTABELECIDA ADICIONA SITES DE UPLOAD DE VÍDEOS


Normalmente, os jornalistas profissionais e institucionais tendem a ver os “jornalistas cidadãos” como intrusos, como amadores desprovidos das habilidades, da disciplina de verificação da veracidade dos fatos e do código de ética para moderar a capacidade técnica de publicarem o que quiserem. Felizmente, nem todos pensam desse modo. Na realidade, uma das organizações mais proeminentes, a Sociedade de Jornalistas Profissionais, estabeleceu uma Academia de Jornalismo Cidadão para encorajar e educar jornalistas amadores aspirantes.
A eficiência cada vez maior dos jornalistas cidadãos não profissionais não se perdeu nas grandes redes de TV, canais a cabo e jornais impressos. Tanto é assim que eles incentivam ativamente a participação de jornalistas cidadãos aspirantes, oferecendo a eles maneiras fáceis de enviar notícias através de sites especiais de upload de vídeos.
Como todos grandes conglomerados midiáticos têm algum tipo de programa, vamos nos concentrar na CNN para exemplificar. Inaugurada em 1980, a CNN foi o primeiro canal de televisão a cabo com notícias 24 horas por dia.
A inovação da CNN persiste até mesmo hoje em dia, na era da internet, com sua iniciativa “iReport”, por exemplo. No iReport, jornalistas cidadãos enviam suas matérias, com destaque para notícias que apresentem conteúdo audiovisual e fotografias.
photo003
A CNN foi além e incorporou o pauteiro ao pacote do iReport. As pessoas podem escolher as “Matérias Disponíveis”, ou seja, as matérias nas quais CNN gostaria da colaboração dos jornalistas cidadãos. Além disso, há as “News Beats”, que cobrem uma grande variedade de pautas em andamento reunidas em “Grupos de Pautas” nos quais colaboradores participam com outros jornalistas cidadãos com os mesmos interesses.
Uma relação simbiótica se estabeleceu nos meios com sites como YouTube, Facebook e Twitter.
A CNN usa com frequência vídeos do YouTube nas suas transmissões, além de incorporar tweets em tempo real, mensagens instantâneas e comentários do Facebook dos telespectadores em seus programas ao vivo.
photo003
Alguns outros grupos midiáticos que contam com programas de jornalista cidadão semelhantes: FOX uReport, NBC News Citizen Journalist, e CBS EyeMobile.

O JORNALISMO CIDADÃO É BOM PARA VOCÊ?


Você pode ser consumidor, colaborador, ou ambos. A decisão é só sua.
Notícias de jornalistas cidadãos em todo o mundo já mostraram que são um recurso valioso para captar eventos e matérias importantes em tempo real que os grandes grupos midiáticos e agências de notícias não conseguiriam ou não poderiam cobrir. As tecnologias digitais, principalmente o vídeo, aliadas ao grande alcance e velocidade da internet, facilitaram mais do que nunca a publicação e divulgação de um ponto de vista único a grandes e pequenos públicos.
Quais são os assuntos que mais te interessam? Quais são suas fontes favoritas de jornalismo cidadão? Você é um jornalista cidadão? Você já enviou uma notícia em vídeo para um site agregador de vídeos?

{ 0 comentários… adicionar um }

Deixar um Comentário